desaba o céu – faz sentido

desaba o céu lá fora. nem me lembrava mais deste negócio chamado chuva. pelo menos em lisboa. faz sentido.
hoje à tarde foi o pic-nic de aniversário, na tapada das necessidades. um lugar lindo e enorme. o melhor é que eu não o conhecia. cantamos os parabéns e ela chorou. faz imenso sentido, depois de todo este ano. todas estas conquistas. e, mais do que tudo, todas estas batalhas.
à noite foi a ida ao agito. na entrada dou logo de caras com uma pessoa que não via há séculos (10 anos?). falando com ela soube que é próxima – imediatamente – de uma outra que esteve relativamente, mas sempre, perto. fiquei contente e muito impressionado. fez sentido.
uns passos mais adentro do agito e foi a cena das despedidas. o projeto não coincide com os mapas de portugal. after, fomos todos para o mob: mais despedidas. abraços, simpatias, o de sempre. muita compreensão. tenho mesmo pena. mas estou feliz pelo desafio.
saí do mob e as primeiras gotas começaram a cair. faz sentido. desaba o céu lá fora. nem me lembrava mais deste negócio chamado chuva.

Anúncios

uma terça no bairro

encontro no largo da trindade, ontem. onde? na estátua. eles ainda não tinham passeado no bairro alto à noite. preocupou-me ela ainda não conhecer alfama. ele – que esteve aqui há poucos meses – conhece. agora já estão por coimbra, depois vão ao porto, depois a troia (porque troia?).

depois de me apresentar fui de imediato ao então, se amarrou em lisboa? e ouvi um como não gostar daqui?

bicicletando

sábado eu e a minha bici fomos de casa até à ponte vasco da gama e voltamos. ida e volta 22 kms, segundo o google maps. uma parte substancial do caminho foi pela beira do rio. muito muito bom. vai ser difícil não ficar viciado nisso.

acordando

i.

acordando da trabalheira.

ii.

sexta passada fui ver a orquestra todos na gulbenkian, que excedeu imenso as minhas expectativas. estava mesmo lindo: o palco, o que se cantava e o que se tocava, a moldura humana, a noite. tudo agradável, passando pelas piadas, nossas, sobre os maracutecos, chamados normalmente de segunda é um dia lindo.

iii.

ficaram muitos outros shows por ver nestes meses, que foram dos mais exigentes em termos de trabalho. até secas na feira internacional do artesanato apanhei sem vender nada de nada. no entanto a fia valeu a pena. pelo menos em termos de leitura e escrita.

iv.

porém, no meio da trabalheira, de junho para cá conheci o arte e manha (no dia do seu aniversário e poucos dias antes de fechar – com direito a vaguear atrás dele – sem ter a mínima ideia de onde ele estava – na duque de loulé), o jamaica (sim, duzentos anos depois) e de uma assentada – numa espécie de visita de estudos – virei o cais do sodré do avesso.

v.

o circuito cais misturou um pouco de tudo (e já descontando o restaurante chinês fechado, onde começamos a noite): oslo, liverpool, transmission, o americano (fechado, mas aberto, e a porta fechada na cara da polícia – rir), o café cid (?), e o famoso copenhagen na manhã. a hora e meia de sono antes do futebol para rematar em todos os sentidos e pensar experimentar para nunca mais. nunca é muito forte.

vi.

circuito cais que outro dia ficou completo, para mim pelo menos, recentemente: com a pensão amor, na noite em que regressei ao incógnito talvez dois anos depois.

vii.

as férias estão a abanar para mim. relativo o valor delas: os understood também estão descansando. assim, paradoxalmente, dá vontade que o descanso passe depressa. não, acho que não é um desejo legítimo, nem desejável.

ainda repetiremos os jantares “no alto”

há uma semana atrás ouvi os excelentes capitão galvão, à frente da fonte da rua do século. acabava de chegar de sintra, do palácio monserrate, castelo dos mouros e tudo aquilo. a esta hora – 23.31 – estavamos no chapitô. não entendo como quiseste voltar, tendo isto tudo. eu também não. no domingo acordei e a presença deles se resumia à janela aberta na sala e as chaves – que tinham sido deles – em cima da mesa. aí, junto com as saudades, senti o quanto tinha sido tudo tão fantástico. foram 4 dias sensacionais que incluíram também cascais, muita lisboa, bairro alto, alfama, super bock, muita compreensão e afeto.