e agora?

a máxima tão certa para estas minhas viagens: um ano é pouco, dois anos é demasiado.

Anúncios